No fim do segundo ano de mandato...

07-11-2013 23:45

Caros sócios da B.S.C.R.T.,

 

Como todos sabemos, a Banda S. Cristóvão de Rio Tinto viveu, desde Janeiro de 1937, sempre ao serviço da música e da população. Por isso quero resumir aqui, perante vós, aquilo que temos andado a fazer durante o nosso mandato.
Quando tomámos posse, encontramos esta casa sem liquidez de tesouraria e com muitas dificuldades económicas! Era impensável subsistir naquelas condições e preparávamo-nos para entregar a chave ao Presidente da Assembleia… Não tínhamos apoios financeiros nem mecenas, não podíamos garantir a sustentabilidade económica e financeira da Instituição, tínhamos contas a pagar (as chamadas despesas correntes, entre outras) e não havia dinheiro nenhum, prevíamos que os 3 a 4 meses que se avizinhavam não nos dariam garantias de entrada de receitas na tesouraria. Passamos duas longas e árduas semanas fechados na sede desta casa, todos os dias, até altas horas da noite para tentar reconstruir e re-alicerçar esta instituição.
No entanto, valeu a pena! Afinal de contas, depois de apenas um ano de mandato, já tínhamos cumprido mais de metade do nosso plano de atividades! Além de obtermos o reconhecimento público, fomos agraciados com bênção papal, missivas do Bispo do Porto e pároco da freguesia e felicitados por oficio por sua excelência o Presidente da Republica Portuguesa, carta da Monarquia Portuguesa, menção honrosa da Junta de Freguesia de Rio Tinto e distinção com Medalha de Mérito Grau Ouro pela câmara municipal de Gondomar.
Olhando para trás e para o presente, cada vez mais reconheço que outro grande triunfo desta direcção foi a reestruturação e o fortalecimento da nossa Escola de Música, para um nível de maior proximidade entre alunos – executantes – pais – direcção e desenvolvimento de um sistema de formação musical de maior qualidade e exigência. A Escola de música é, foi, e continuará a ser a maior e a melhor medida implementada, que terá de obrigatoriamente ser sempre acarinhada, e ter sempre um apoio muito grande por parte da direcção.
É prioridade investir na Escola de Música, na formação de novos músicos e os frutos estão à vista - a criação da primeira Banda Juvenil  de Rio Tinto, que tantos frutos tem dado e está agora prestes a completar um ano de existência.
Por outro lado, esta direção conseguiu recuperar sócios antigos, reparar relações destroçadas e angariar novos sócios, que são, no fundo, o sustento da instituição.
Importante foi também o projecto do Museu da BSCRT. Com a ajuda de sócios, músicos, familiares, patrocinadores, entre outros, a actual direcção da BSCRT uniu esforços e transformou aquilo que era uma sala grande e vazia num espaço acolhedor, que alberga o Grande Museu e a Sala de Aulas da BSCRT.
Uma outra luta desta direcção foi a aquisição de uma nova viatura para substituir a antiga carrinha. A nova viatura é agora mais robusta, com melhor capacidade de carga e acomodação do instrumental da banda sem prejuízo dos lugares para boleia de alguns músicos. Vistosa, esta nova carrinha faz agora jus à imagem da nossa banda em qualquer romaria que por ela passe.
O projeto mais recente a que nos propusemos foi a gravação do novo CD, que espelha a atual qualidade musical acima da média de que já usufruímos, e se mantem como uma boa recordação deste triénio.
Um outro passo é a luta pelo novo fardamento, para dar uma nova imagem (começando a nível de gravatas e de camisas, para mais tarde, quiçá num momento mais oportuno, completarmos o restante equipamento em falta).
Ao mesmo tempo temos continuado a promover, focalizar várias atividades e eventos que complemente e se integrem com o da música, no qual traga valor acrescentado à população, à cidade de Rio Tinto e ao concelho de Gondomar, no fundo que prestigie ainda mais a nossa banda.
Para terminar, que o futuro, apesar dos obstáculos, seja vitorioso para a nossa querida banda, e que Deus nos ajude a todos, cada um à sua maneira, a consegui-lo com sucesso! Viva a Banda S. Cristóvão Rio Tinto!

 

Daniel Ribeiro,

Presidente da BSCRT